Alexandre Horta e Silva expõe na Paralela de Veneza 18 julho 202

Atualizado: 31 de ago.

A exposição teve curadoria da consagrada Maria dos Anjos Oliveira. A abertura da exposição aconteceu em 8 de julho com prosseguimento até o dia 14, com um lindo material fotográfico da série “Apanágios”. O local expositivo foi apreciado em L’Orlo, Venezia, localizado em Cannaregio, 4516, Veneza.)





sobre


Nascido em 1958, no antigo e tradicional bairro do Cambuci, em São Paulo, o médico e psicanalista Alexandre Horta e Silva sempre foi um observador das coisas do mundo e da vida dos homens. Em sua infância, encontrou em um tio-avô um mentor que o ensinou a fotografar, desenhar e pintar, além de incentivá-lo ao estudo da literatura, filosofia e arte. Mais tarde Alexandre estudou violão clássico e popular. Sua primeira câmara fotográfica, uma Olympus Trip 35, adquirida na adolescência em uma loja da Rua Direita, no centro de São Paulo, serviu para o conhecimento dos fundamentos técnicos da fotografia e, permitiu os primeiros exercícios com a linguagem fotográfica. Seu encontro com a fotografia abriu um vasto horizonte para onde dirigir seu olhar. A intensidade poética de suas fotos, bem como a qualidade de finalização obtida com a impressão fine art, surpreendeu amigos, familiares e profissionais do meio artístico, que o estimularam a levar o hobby de forma mais séria e a compartilhar sua obra.








Com participação especial na Paralela em Veneza, o talentoso artista / fotógrafo encerrou a mostra com chave de ouro, tendo seu trabalho apreciado pelo público presente na Bienal e por alguns galeristas estrangeiros que visitavam Veneza. Foram duas semanas de intenso trabalho que resultou em mais alguns convites a obra do artista, que brevemente faremos circular.








“Alexandre Horta e Silva, que é psicanalista, parece se lançar com intensidade à força irresistível da fotografia. O ofício de fotógrafo se distingue de tantos outros dentro das artes por envolver um risco real, o de se expor sem filtros à riqueza e à miséria do mundo. Alguns artistas poderão retirar-se à meditação exclusiva em seu ateliê, junto ao piano ou à escrivaninha, mas o fotógrafo estará sempre à beira de um mundo desconhecido, diante da urgência de assimilá-lo e de devolvê-lo com distinção a quem o observa. Principalmente de transfigurá-lo, ação que parece constituir a especialidade deste fotógrafo, e seu encanto.”

Rafael Guanaes, outono de 2022.

Para aquisições de obras, contato: Maria dos Anjos (55 11 99603-9097)

Agradecimentos:



Maria dos Anjos Oliveira

Maria dos Anjos é artista plástica, galerista e produtora cultural, nasceu em Nisa-Portugal. Hoje ela dedica-se quase que exclusivamente ao desenvolvimento de projetos culturais, tanto dela como de outros artistas.




Agradecimentos:





Um pouco da mostra em Veneza: fotografias da série “Apanágios” onde esteve a exposição na Paralela de 8 a 14 de julho. Curadoria de @anjosartstudio .









80 visualizações0 comentário